Alimentação e saúde mental

by | out 18, 2021 | Artigos

Você sabia que a alimentação pode melhorar ou atrapalhar diretamente a saúde mental?

Esse tema tem sido alvo de estudo bem recentes, mas os resultados são muito importantes, pois mostram que uma alimentação adequada diminui o risco de depressão, estresse, ansiedade, insônia, dentre outros desequilíbrios. Da mesma forma, uma alimentação inadequada aumenta os riscos de problemas mentais. A infância e adolescência é uma fase na qual o cérebro está em desenvolvimento. Dessa forma, a alimentação adequada é ainda mais importante.

Como então seria essa alimentação? Bem, o cérebro é um órgão gorduroso. Como toda gordura, sofre muito com oxidação, ficando inflamado com muita facilidade. Daí uma dica importante: como não produzimos gorduras poli-insaturadas, que protegem o cérebro dessa oxidação, elas precisam vir da alimentação! Ou seja: as gorduras que consumimos vão ter um impacto importante na saúde mental. O ômega 3, presente em peixes de águas frias como a sardinha, atum e salmão, é rico em ômega 3.

Comida, Viciado Em Comida, Assar, Salmão, Peixe

Bem como as sementes de chia e linhaça, mas que no caso são fonte de ômega 3 quando consumidas na forma de óleo. E isso é só o começo. Além do ômega 3, você pode fazer muito mais pelo seu cérebro.

Na prática:

Existem alimentos ricos em antioxidantes que agem impedindo a oxidação/ inflamação. E é muito importante que estejam na alimentação das crianças de forma cotidiana. 

São eles:

  • Cúrcuma: O açafrão da terra, tempero muito fácil de ser encontrado, pode ser adicionado em preparações como ovo mexido, arroz, carnes… e é ideal que sempre venha acompanhado de uma pitada de pimenta do reino ou caiena, para que a curcumina seja absorvida;
  • Cacau: consumido em forma de chá, adicionado em bolinhos com menos açúcar, ou mesmo em um chocolate – sendo o melhor o meio-amargo;
  • Combinações como: banana com aveia e amêndoas ou Arroz (se for integral, melhor ainda) com feijão: boas fontes do aminoácido triptofano, que ajuda na produção de serotonina: neurotransmissor da felicidade;
  • Chás como os de folhas de maracujá (atenção: não é a polpa, como muitos pensam), folhas de Melissa e flores de camomila: calmantes para o Sistema Nervoso Central, além de ajudarem em foco e concentração;
  • Cogumelos, espinafre, tomate, e alimentos crucíferos: brócolis, couve-flor, repolhos, couve, couve-de-bruxelas: fontes de GABA, neutransmissor relaxante;
  • Alho: super antiinflamatório. Pode ser usado no tempero do dia a dia. O ideal é que seja processado na hora de usar. Não use os prontos, que geralmente vêm adicionados de sal ou até mesmo glutamato (este, super inimigo do cérebro).

Falando em inimigos… Corra deles:

Algumas substâncias presentes em alimentos ou embalagens, atrapalham muito o funcionamento cerebral: é o caso do plástico, do alumínio, de toxinas como os agrotóxicos, além de conservantes e corantes…

E a oferta desses produtos alimentícios ultraprocessados para crianças é cada dia maior! Chamamos essas substâncias de Xenobióticos. Elas têm o poder de se fixar em gordura, e acham no cérebro um local ideal! Lá, atrapalham a sinalização dos nossos neurotransmissores, atrapalhando o foco, a atenção e o aprendizado, além de serem relacionadas a doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e o Parkinson (no caso do alumínio).

Jarras, Conservas, Geléia, Estante, Espalhar, Caseiro

Ou seja… A alimentação adequada passa pelo que devemos consumir, e também pelo que devemos evitar! Quanto menos alimentos de pacote, melhor! Para crianças, e também adultos, o ideal é evitar enlatados, plásticos, usar mais vidros. De panela, evite as de alumínio, sendo as de vidro, aço inox ou cerâmica as mais adequadas.

O caso do TDAH:

O TDAH é uma condição que tem sido muito mais diagnosticada nos últimos anos. Estudos mostram que o maior consumo de alimentos ricos em ômega 3, como peixes, óleo de linhaça, sementes de chia, melhoram o controle emocional e a o foco. Já o consumo de alimentos ricos em açúcar, bem como o glutamato (aditivo muito presente em produtos de pacotes como biscoitos), têm a capacidade de piorar muito os sintomas de crianças diagnosticadas com TDAH, deixando-as mais agitadas e com aprendizado prejudicado.

Resumindo

Criança precisa de comida de verdade: mais alimentos frescos, frutas, legumes, verduras. E de menos exposição a alimentos de pacote e fast-food. E vale lembrar que a alimentação não faz o trabalho sozinha. Atividade física e sono reparador (dormir cedo), junto com a alimentação são a tríade perfeita para a boa saúde mental dos nossos pequenos.

Luciana Paz Verona

Nutricionista, doutora em Alimentação, Nutrição e Saúde pela UERJ

Posts recentes

Amar é combater o trabalho infantil

Amar é combater o trabalho infantil

“Depois disso, algumas pessoas levaram as suas crianças para Jesus pôr as mãos sobre elas e orar, mas os discípulos repreenderam as pessoas que fizeram isso. Aí ele disse: — Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino do Céu é...

Adoção: Vencendo os desafios emocionais da fase de aceitação

Adoção: Vencendo os desafios emocionais da fase de aceitação

O Dia Nacional da Adoção é celebrado no Brasil em 25 de maio como uma forma de conscientização sobre a importância dessa ação. A adoção é um ato de escolha e amor, em que tanto adotantes quanto adotado(s) passam por grandes desafios, mas também pode ser imensamente...

Mulheres: Uma Grande Força No Cuidado Emocional Infantil

Mulheres: Uma Grande Força No Cuidado Emocional Infantil

Atualmente, e cada vez mais, estudos científicos na área da saúde mental evidenciam aimportância do cuidado emocional da criança, e repercussões da relação pai-mãe-bebê àsaúde mental infantil e, a longo prazo à de adolescentes e adultos. Dessa forma, diante de...

Alienação parental diante da lei

Alienação parental diante da lei

A Lei nº 12.318/2010, em seu art. 2º estabelece o seguinte conceito: “Considera-se ato de alienação parental a interferência na formação psicológica da criança ou adolescente, promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou...

categorias

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts relacionados

Chegamos em Cabo Verde

Chegamos em Cabo Verde

Em 2004, durante o meu período de férias no Brasil, fui capacitada pelo Projeto Calçada, e ao regressar a Cabo Verde, onde trabalhava como missionária de Missões Mundiais, comecei imediatamente a aconselhar muitas crianças com a Bolsa Verde. Entre essas crianças...

read more
A Ovelha Perdida

A Ovelha Perdida

A pandemia do coronavírus trouxe uma nova realidade, a do isolamento social. Todos temos lidado com isso, em especial aqueles que estão infectados com a doença, que ficam preferencialmente em um quarto, sem contato com as pessoas, sem pode tocar e nem ser tocado. Não...

read more
A LUTA PELO LUTO

A LUTA PELO LUTO

“Chorai com os que choram...” Romanos 12.15 A pandemia que estamos enfrentando nos tem feito experimentar algo que nunca havia sequer passado pelas nossas mentes ser possível: não poder velar e sepultar os nossos mortos. Participei de dois velórios durante este tempo...

read more